Translate

AMERICAN LIFE: #129- 2.3 In The USA Part (1

24 De Julho de 2016, Grayslake-IL

Uma coisa que inevitavelmente acontece quando a gente faz aniversario é fazermos uma reflexão  dos últimos acontecimentos da nossa vida, das coisas que a gente conquistou e das que ainda tem que batalhar para conseguir, então esse é um texto sobre como eu achei que estaria aos 2.3 e como eu  na verdade estou.
Mas ante de começar, preciso dizer que fazer aniversario sempre foi uma coisa meio "x" na minha vida e quase posso dizer que triste, porque durante toda a minha adolescência eu não sabia muito bem o que estava fazendo no mundo... Maaaasss, isso mudou alguns anos atras e embora hoje eu não considere o meu aniversario um grande evento, me sinto imensamente grata pelas coisas que eu conquistei até aqui. Tive um 2.1 na Grécia (leia aqui), agora vamos de 2.3 nos EUA!!

Outra coisa é que ha alguns anos eu havia estipulado um prazo de ate os 25 anos para conseguir trabalhar em navio e morar nos EUA. Bem, nada me faria mais feliz do que dizer que estou 2 anos adiantada nessa minha "wish list"!!! Alias, alem dessas 2 coisas vieram muitas outras de brinde, como uma coleção de países legais que o navio me proporcionou conhecer, alguns outros idiomas e inúmeras historias para contar. Com tudo isso, saldo super positivo <3
Ps: Escrevendo esse texto do meu lugar favorito desde que cheguei:

Vamos voltar lá atras um pouquinho... Eu com 15 anos de idade não tinha expectativa nenhuma.  Tá, não que aos 15 anos seja comum se preocupar com o futuro mas eu nunca fui uma pessoa cheia de planos, cheia de sonhos, decidia do que fazer da vida. Eu não era boa aluna, nem era boa em matéria nenhuma. Ate os 15 anos eu tirava as melhores notas da escola porque eu estudava pra cacete (mas não porque eu super inteligente) depois disso eu relaxei total. Fui estudar a noite e lá eu praticamente não ia para a escola. Nessa fase da minha vida eu já trabalhava todos os dias e dificilmente ficava ate a ultima aula e pra vocês terem uma noção, mesmo estudando em uma escola bem meia boca, eu achei que não passaria de ano no terceirão, um absurdo. MAAAAS, eu ganhava muito bem pra uma menina da minha idade e era uma OTIMA funcionaria, sério, de verdade, eu amava o que eu fazia e era bem feliz naquele trabalho, vestia a camisa da empresa... Se tem uma coisa que eu sempre amei fazer foi TRABALHAR, mas, quando eu me via 10 anos no futuro (no caso daqui a 2 anos) eu não conseguia me ver em nenhum tipo de trabalho especifico... A pessoa aqui era zen, "zen planos", não queria nada com nada. Agora, uma coisa que eu claramente me via era CASADA e COM FILHOS. Não porque casar e ter filhos fosse o sonho da minha vida mas porque eu fui educada pra isso. 

Então era assim que eu me via futuramente. Casada, ganhando "bem" naquele mesmo emprego ou sei lá, na recepção de algum hotel. Me imaginava também já morando na minha (e do meu então marido) casa própria que iríamos pagar por 30 anos. Me via claramente dirigindo um carrinho X, fazendo compras de vez em quando, comprando celular do ano em 24 vezes nas Casas Bahia. Esse era o meu padrão de vida ideal, e olha, confesso que se eu tivesse seguido isso teria sido bem mais fácil. Eu também posso dizer com TODA certeza que eu NUNCA tive o sonho de viver fora. 

A historia de como a minha vida mudou eu já perdi as conta de quantas vezes contei aqui no blog mas na real ela é bem simples porque hoje eu acredito que isso já estava certo pra mim, que essa vontade de ir "mais longe" já viva aqui dentro, eu só não sabia, e foi só uma questão de segundos para tudo começar a fazer mais sentido. 

Então vamos aos fatos:

Aos 23 anos eu não me casei. Gente, com 15 anos eu achava que aos 23 eu iria ser uma mulher super madura, resolvida, decidida e casada. Mas engraçado como a percepção de "madura e resolvida" muda na cabeça da gente. Para o "meu eu" daquela época ser bem resolvida era sinônimo de ter um bom marido e ponto. Besteira! Hoje se tem uma coisa que eu não sou é bem resolvida e se tem uma coisa que definitivamente não faz parte dos meus sonhos é me me casar (eu quero, mas não sonho com isso). 

Bem, eu não sou bem resolvida mas sou totalmente realizada. Nem nos meus sonhos mais insanos eu imaginei viver metade do que eu vivi e vivo ate hoje. Aos 15 anos o mais longe que eu imaginava que iria era para o Rio de Janeiro, e hoje eu coleciono carimbos no meu passaporte e memórias de infinitos lugares que eu já coloquei o meu pezinho (metida).

Aos 23 anos eu não tenho filhos mas (vamos a parte polemica) eu gostaria de ter embora não queria (?). Tá, deixa eu explicar... Eu não amo crianças e quando lá atras eu me via já sendo mãe não era porque eu achava maravilhoso ter filhos mas sim porque isso era uma peça fundamental do meu ideal de "vida feliz". Hoje filhos é a maior incógnita da minha vida. Eu acho que deve ser o máximo ter um filho aos 20 e poucos, mas meu Deus uma criança na minha vida hoje mudaria drasticamente TODOS os meus planos e há quem diga que é assim pra todo mundo, mas eu acho que uma coisa é ter um filho quando não se esta preparada mas se mora perto da família, tem-se uma vida num só lugar e um tipo de emprego "fixo", outra é ter um filho aos 20 e poucos anos quando todos os seus planos de vida são assim meio "incertos" e na maior parte deles voce esta pulando de um pais para o outro. Entenderam? Então eu ainda acho legal ter filhos aos 20 e poucos mas não existe um por cento de chance de encaixar uma criança na minha vida, o que é bom, porque eu gosto desse meu life style, mas triste porque eu adoraria dar netos e bisnetos pra minha vó logo <3 (E sim, sou pressionada pra isso) . Alem do que se eu tivesse tido um filho no passado, provavelmente não estaria aqui hoje (mas vai saber).

Aos 23 anos ainda não encontrei meu DOM, ainda não sou MUITO boa em alguma coisa, mas comparada a aquela aluna péssima que eu fui no passado até que eu melhorei. Me formei no curso de comissária com as melhores notas da classe, fechei com praticamente  tudo entre 9,5 e 10 e por uma única questão eu  não gabaritei a ANAC (provão final). Isso porque eu desenvolvi uma coisa ao longo dos anos que se chama: PERFECCIONISMO. Eu posso não ser muito boa em alguma coisa, mas qualquer coisa que eu me disponha a fazer eu vou fazer o meu melhor, e tentar estar entre os melhores. 

Aos 15 anos eu me via hoje SUPER SARADA, tipo, achava que aquele metabolismo que eu tinha anos atras iria me acompanhar para sempre (porque minha mãe é assim então né...) Mas, aos 23 anos eu vi que não tem genética boa que aguente a Mc Donalds todo dia e engordei 14 quilos, que foram MUITO difíceis de eliminar, mas estamos ai, firme e forte. 

Aos 23 anos eu não frequento baladas, e de jeito nenhum bebo destilados, mas meu amor por cervejas e vinhos prevalecem. Engraçado, aos 15 anos eu amava sair, estar em contato com pessoas, e passar um final de semana em casa era sinal de derrota. Conforme o tempo foi passando eu fui perdendo o interesse nas noitadas e isso me fez ficar com um enorme ? na cabeça por muito tempo já que eu sou nova e teoricamente pessoas novas são da night, não? sim? Por bastante tempo eu sai para provar a mim mesma que eu ainda gostava das baladas da vida. QUE BESTEIRA. Hoje eu vou em ocasiões especiais, mas encho a boca de orgulho pra dizer que ficar em casa num sabado a noite é a melhor coisa da vida! Principalmente quando eu estou no Brasil... Meus pais sempre me perguntam se eu quero sair para passear e NAO, eu quero ficar em casa vendo Silvio Santos com a minha família <3

Aos 23 anos eu conto no dedos os meus amigos de verdade. Por que mesmo aos 15 eu achava tão importante estar sempre rodeada de pessoas?! Hoje menos é mais. Qualidade e não quantidade!

Aos 23 anos eu ainda amo trabalhar e sinto falta de ter um trabalho de verdade. Não é que eu não goste da vida boa que eu tenho nessa casa, mas eu sou do tipo que gosta de ter compromissos, horários, de ficar cansada e dormir antes mesmo de conseguir pensar em besteira a noite. Mente vazia nunca é bom...

Ter 20 e poucos é um pouco desesperador pra mim porque eu ainda quero fazer taaaaantas coisas na vida, milhões de contratos no navio, morar aqui por mais tempo, conseguir um job em alguma cia aérea, ganhar muito dinheiro, morar uns meses em algum lugar na Europa e aprender outros idiomas mas o tempo esta passando MUITO RAPIDO, tanto que eu sempre sinto que estou in a rush comigo mesma. No entanto, uma coisa, alias uma das mais importantes coisas que eu aprendi nesses ultimos 3 anos é que a gente faz um monte de planos, mas tudo acontece no momento em que tem que acontecer, o importante é não perder o foco e continuar, devagar e sempre. E que felicidade de dizer que aos 23 eu já tenho um pequeno background para me orgulhar, e que mesmo que eu pudesse não mudaria exatamente nada disso tudo que compõe o que eu sou hoje. 

E Happy Birthday to Me!!!!!

Volto no proximo post pra contar como nós comemoramos meus 2.3 em solo americano <3

See ya!
Share on Google Plus

About Harlye Mielli

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Tripulante Navio Au Pair Diario de Bordo Costa Fascinosa Temporada Europeia Illinois histórias de crew Crewlife Summer 2016 Fase 4: De volta ao Buffet Snack Stward Living in Russia WINTER 2015/2016 Moscow Fase 2: Europa Chicago Spring 2016 Aconteceu no Fascinosa Fase 6: Ultimo Cruzeiro California Road Trip Temporada Brasileira crewfamily Fase 1: O Começo Processo de Embarque Divirta-se Capos Namorado Cabinmate SUMMER 2015 Namoro a bordo FALL 2015 Fase 5: Reta Final St. Petersburgo Bratta Familia Supervisores Cabine Processo Au Pair TAG: Vida de Snack Bia Data de Embarque Brasil Veneza-Italia Crew Bar Fase 3: Ass. Witress Horarios Mykonos-Grecia Vida-pós-Navio Costa Crociere Dicas warning Aprenda Russo Ass Waitress Grecia Trabalho em Navio relacionamentos Academia Buffet Crew Party training Aviação BRASIL X EUROPA Cherepovets Comissária de Voo Las Vegas Santorini fim de contrato Celular Comida a Bordo Let Pro Flight Rio de Janeiro despedidas Arizona Bari-Italia Dinheiro Navegação Port Manning Russia salario At sea Buenos Aires Colorado Dubrovinik Croacia Filipino Folgas Infinity Ingles Saudade Saudades Thayse Uniforme Vida de Snack drill Anac Aniversarios Cabelos Comida Corfu-Grecia Crossing Data de Embaque Dirigindo nos EUA Embarcation Day Inspeção de cabine Malas Natal New York Overnight Salvador Santos Treinamentos bambini compras guests medico a bordo ABOUT ME Academia a bordo Banheiromate Brasileiros Cabelo Costa Pacifica Crew Beach Desembarque Fall 2016 Fascinosa Formatura Ilha Bela Internet Mafia Meeting Capitão Minnesota Provas Pós- Russia Red Square Schedule Side Job Sobrevivencia- Selva e Marinharia Travel Tips dançarinos evaluation transferencia de navio 21 anos 21 anos na Grecia Aeroporto de Madrid-Barajas Aeroporto de Roma Alitalia American Life Assalto CFPN Cambuza Cantando Carnaval Copa do mundo Costa Mobile ou Costa In touch Costa NeoRiviera Entrevista Europa Exames- Navio Familia a bordo Feminismo Filipinos Flight attendant Flowchart Folga Gastos Hard Rock Itinerário Kentucky LIfe on board Living in USA Loira a bordo Maceio Malaga-Espanha Mamagaio Mareado Meu filho quer embarcar! E agora? Nashville O que levar nas malas? Palermo-Italia Portugal Processo seletivo RFE Reembarque Reflexão Reportagem TV Riniti Rotina STCW ou CBSN Secador e chapinha Sta Cruz de Teneriffe-Espanha TIM Televisão Tennessee Uruguai-Punta Del Este e Montevideu Videos Vizinhas Vocabulario Voo Wifi Wisconsin abandon ship aniversario na grecia comunicação disney laudry massagem a bordo metri off passageiros staff ´Reembaque