Translate

AMERICAN LIFE: #127 Após 429 Dias De Namoro a Distancia...

21 de Julho de 2016, Grayslake-IL

Hoje é sexta feira, um dia normal, ainda estou trabalhando e daqui a pouco vou dirigir para o aeroporto. Não estou ansiosa, mas estou nervosa por não estar ansiosa porque sinto que quando a ansiedade chegar vai ser com tudo, daquelas que tiram ate o fôlego da gente e fazem o coração querer  sair pela boca.

429 DIAS NAMORANDO A DISTANCIA. Foram 429 dias de saudades e incertezas. 429 é muito tempo! Isso é uma boa parcela do tempo total que nós estamos juntos. Durante todo esse tempo eu me perguntei milhões de vezes porque eu entrei nisso. Caramba, que ideia a minha! Namorar já é difícil, a distancia então, complicado, com tripulante embarcado, quase impossível, mas eu, que nunca acreditei em relacionamentos assim, sabe-se lá porque resolvi tentar.
A nossa historia começou em um transatlântico, milhas e milhas distantes de casa. Eu, brasileira, ele, russo, navegando os sete mares, dormindo na Itália, acordando na Grécia. Somos tripulantes de uma companhia de cruzeiros, e embora morássemos no mesmo barco, demoramos um tempo até nos encontrarmos. Em poucos dias estávamos namorado, a bordo tudo é muito intenso, e tudo tem prazo de validade uma vez que cada contrato dura 8 meses, costumamos dizer que é um amor em cada porto e assim eu pensei que fosse acontecer com a gente. Desembarquei em Veneza em 15 de setembro e fui para o Brasil, tendo certeza de que aquele seria o fim do nosso relacionamento, e dois meses eu estava voando para o pais mais frio do mundo. 
Moramos na Rússia por algum tempo, eu vivi a cultura dele, o idioma dele e aprendi a amar o inverno, mas como bom marinheiro não fica muito tempo longe do mar, decidimos que era hora de voltar. O problema é que nossa cia tem uma frota de 14 navios e eu fui escalada para a temporada brasileira de cruzeiros e ele para a europeia, e foi no meio disso que os EUA entrou na minha vida, onde tive a oportunidade trabalhar e viver um sonho que eu já tinha a muito tempo, afinal de contas, de uma forma ou de outra não conseguiríamos ir para o mesmo navio, MAS, por uma rasteira do destino, no dia em que eu acertei minhas coisas para vir para os estados unidos, ele foi transferido para o navio em que eu iria caso não tivesse cancelado na semana anterior. 

Foram dias difíceis e foi extremante complicado de digerir tudo isso mas decidimos tentar. E assim a distancia que nos separou por 429 dias foram 8,526,91 quilômetros entre o Rio de Janeiro e Chicago, onde moro atualmente. Tudo entre a gente sempre foi muito intenso, seja pela saudade e muitas horas de fuso horário, ou por vivermos juntos no mesmo barco, na mesma cabine minúscula. Sinto que não existe um meio termo na nossa relação, é 8 ou 80. Nós não chegamos a terminar mas tivemos fases muito difíceis e a distancia foi extremante culpada. Chega um momento em que você aprende a lidar com a saudade física, a dormir sozinha, a levar o namorado junto na balada por skype começa a fazer sentido na sua cabeça (sim, a gente pira), mas o meu maior problema foi o fuzo horário... Houve um tempo em que ele me mandava mensagem de bom dia enquanto estava indo dormir, e de boa noite enquanto estava acordado. Outro inimigo foi a falta de internet, já que no navio o sinal nem sempre é muito bom e sempre muito caro e foi assim que eu vi além de estar sem meu namorado, também me senti sem meu melhor amigo online toda vez que eu tinha uma novidade para contar.

 A coisa mais difícil em um relacionamento a distancia é manter os laços. Uma coisa é ficar longe um mês, dois.. Outra muito diferente é ficar longe por um ano ou mais, afinal de contar o amor é como uma planta que precisa ser regado todos os dias. Eu confesso que cheguei a um ponto que morria de saudades, mas não me lembrava exatamente de que. Lembrava dos nossos momentos bons e de todos os nossos planos mas aqueles pequenos detalhes estavam começando a se perder no tempo e isso me angustiava porque não havia nada que eu pudesse fazer. 
No entanto, namorar a distancia trás lições que nenhum relacionamento "tradicional" pode trazer e te permite ter mais tempo para si mesma. Eu usei esse tempo para focar em projetos que eu tinha começado e nunca dado continuidade, e que talvez no auge de um relacionamento mais presente eu teria deixado pra lá mais uma vez. Eu aprendi a ser mais confiante, a ver o lado bom das coisas. Também nunca estamos cansados um do outro, e um telefonema de 2 horas que com qualquer outra pessoa seria um tédio, nós levamos numa boa, sempre temos noticias o suficiente pra botar em dia. 

Pessoas que não vivem em um relacionamento a distancia dificilmente irão entender, e eu não as julgo porque eu era exatamente assim. Isso era uma coisa sem sentido na minha cabeça, então já não me incomodo quando vejo pessoas revirarem os olhos quando conto ou dizerem que ele por ser homem tem suas necessidades. "Ele por ser homem"...Rá! Como se eu não tivesse as minhas? Como se isso fosse da conta de alguém... Hoje em dia me faço de arvore quando as pessoas começam a falar e assim ficamos todos felizes. Na minha primeira festa aqui nos EUA conheci uma menina que me garantir que isso não da certo, que já tinha visto essa historia antes , bla-bla-bla. 

Essencial para sobreviver a um relacionamento a distancia, é se ocupar com outras coisas, outros hobbies, e dividir isso com o parceiro, tentar criar vínculos mesmo que distantes, saber da vida do outro (não pela boca dos outros, por fofoca) mas por conversas saudáveis, para ainda se sentirem em um relacionamento. Não existe uma formula magica para fazer dar certo porque isso envolve muitas coisas, mas o principal é ter confiança e ter confiança não quer dizer ter certeza que o parceiro não vá fazer nada, mas sim entender que uma vez que você se dispõe a estar em um relacionamento desse tipo tem duas opções: Confiar e o que os olhos não vê o coração não sente, porque você NÃO vai ficar sabendo. Ou, surtar e de desesperar por aquilo que você também NÃO vai ficar sabendo. Tem que ser inteligente. 

E agora nossa distancia está perto de acabar. Fico off do trabalho as 5:15 e aí vou dirigir até o aeroporto para viver esse reencontro que eu tanto esperei e por vezes cheguei a acreditar que não iria acontecer...

See you!
Share on Google Plus

About Harlye Mielli

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment

2 comentários:

  1. Coisa mais linda deste mundo me vi muito em você neste post, infelizmente o meu relacionamento de quase 4 anos, 1 ano e pouco totalmente juntos e praticamente 3 a distancia (logico que ele vinha passava 4 a 5 meses no BR e voltava pro navio)acabou...
    Mas enquanto as pessoas estiverem dispostas, com paciência, dedicação, parceria... eu mais do que ninguém posso dizer que dá certo sim...
    E o mais importante é o amor...quando existe amor não há nada nesse mundo que separe...nem continentes!
    Torço por vocês! bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz parte né?! Eu sempre digo que não necessariamente tem que ser eterno, mas tem que ser eterno enquanto dure... Fácil não é, nós sabemos bem, mas hoje eu sei que é possível, paguei a língua hahahaha

      Obrigada meu amor <3
      Suceso pra ti sempre! Beijos

      Excluir

Labels

Tripulante Navio Au Pair Diario de Bordo Costa Fascinosa Temporada Europeia Illinois histórias de crew Crewlife Summer 2016 Fase 4: De volta ao Buffet Snack Stward Living in Russia WINTER 2015/2016 Moscow Fase 2: Europa Chicago Spring 2016 Aconteceu no Fascinosa Fase 6: Ultimo Cruzeiro California Road Trip Temporada Brasileira crewfamily Fase 1: O Começo Processo de Embarque Divirta-se Capos Namorado Cabinmate SUMMER 2015 Namoro a bordo FALL 2015 Fase 5: Reta Final St. Petersburgo Bratta Familia Supervisores Cabine Processo Au Pair TAG: Vida de Snack Bia Data de Embarque Brasil Veneza-Italia Crew Bar Fase 3: Ass. Witress Horarios Mykonos-Grecia Vida-pós-Navio Costa Crociere Dicas warning Aprenda Russo Ass Waitress Grecia Trabalho em Navio relacionamentos Academia Buffet Crew Party training Aviação BRASIL X EUROPA Cherepovets Comissária de Voo Las Vegas Santorini fim de contrato Celular Comida a Bordo Let Pro Flight Rio de Janeiro despedidas Arizona Bari-Italia Dinheiro Navegação Port Manning Russia salario At sea Buenos Aires Colorado Dubrovinik Croacia Filipino Folgas Infinity Ingles Saudade Saudades Thayse Uniforme Vida de Snack drill Anac Aniversarios Cabelos Comida Corfu-Grecia Crossing Data de Embaque Dirigindo nos EUA Embarcation Day Inspeção de cabine Malas Natal New York Overnight Salvador Santos Treinamentos bambini compras guests medico a bordo ABOUT ME Academia a bordo Banheiromate Brasileiros Cabelo Costa Pacifica Crew Beach Desembarque Fall 2016 Fascinosa Formatura Ilha Bela Internet Mafia Meeting Capitão Minnesota Provas Pós- Russia Red Square Schedule Side Job Sobrevivencia- Selva e Marinharia Travel Tips dançarinos evaluation transferencia de navio 21 anos 21 anos na Grecia Aeroporto de Madrid-Barajas Aeroporto de Roma Alitalia American Life Assalto CFPN Cambuza Cantando Carnaval Copa do mundo Costa Mobile ou Costa In touch Costa NeoRiviera Entrevista Europa Exames- Navio Familia a bordo Feminismo Filipinos Flight attendant Flowchart Folga Gastos Hard Rock Itinerário Kentucky LIfe on board Living in USA Loira a bordo Maceio Malaga-Espanha Mamagaio Mareado Meu filho quer embarcar! E agora? Nashville O que levar nas malas? Palermo-Italia Portugal Processo seletivo RFE Reembarque Reflexão Reportagem TV Riniti Rotina STCW ou CBSN Secador e chapinha Sta Cruz de Teneriffe-Espanha TIM Televisão Tennessee Uruguai-Punta Del Este e Montevideu Videos Vizinhas Vocabulario Voo Wifi Wisconsin abandon ship aniversario na grecia comunicação disney laudry massagem a bordo metri off passageiros staff ´Reembaque