Translate

Living in Russia: #75 O que eu aprendi morando aqui, além de usar o google tradutor com frequencia...

Ultimo dia em Moscow-Russia, abril de 2015
Esse post poderia ser dividido em categorias, ter 10 paginas ou 530 imagens (e vai ser quase isso mesmo), porque depois de tudo isso, eu tenho muito para falar...

#1 A coisa mais importante nesse meu tempo morando aqui foi o sentimento puro e verdadeiro que nasceu nesse triângulo amoroso que formamos, eu, google tradutor e o google maps. Uma consideração tão grande que palavras não podem descrever <3

#2 Outra coisa que de certo tinha que vir em seguida são os tais famosos "estereotipos". Quanta ignorância da humanidade, inclusive minha. Verdade é que somos diariamente comprados pela mídia, assim como eles aqui e no mundo são influenciados a acreditarem que toda brasileira tem samba no pé e que muitos de nós ainda anda peladão por ai... É.
Aprendi que existem dois tipos de ignorância, as vezes cansa ouvir pessoas cantarolando Tropa de Elite e perguntando se é mesmo fácil conseguir drogas no Brasil mas sinceramente, o que eu sabia sobre a Rússia antes de vir pra cá?! Nada alem do que o que passa na TV e o pouco que vi nas aulas de historia em que eu não estava dormindo.

Aqui eu aprendi a ter empatia por pessoas diferente de mim. Antes, sinceramente eu achava que  podia até gostar -leia-se: empurrar com a barriga- e ter uma pessoa de outro pais como colega, mas ter como amigo de verdade me parecia quase impossível e hoje eu vejo que bobeira sem tamanho era isso...

Quando eu disse que viria pra ca, pessoas torceram o nariz. Rússia? Você não tem medo? Os russos são tão frios. Blá-blá-blá...

Frios. Defina "frios" pra você. Não, eles não ficam com um sorriso no rosto enquanto estão andando nas ruas, mas de certo são as pessoas mais educadas que eu já conheci. Tô falando sério! Entre brasileiros, espanhóis, italianos, indianos e por ai vai, os russos ganham desesperadamente na cordialidade.

Eu sigo fielmente acreditando no bem da humanidade. Embora nós estejamos na era em que se é comum ver na TV pais matando filhos e vice versa e tragédias tomam conta dos noticiários eu ainda acredito que o mundo esta cheio de pessoas boas e dispostas a ajudar. Eu cheguei aqui esperando brutalidade e no máximo sorrisos amarelos e de canto e eu o que eu recebi?! Recebi amor!
O cara que me fez sair do Brasil e vir para o outro lado do mundo é o cara mais amigo que eu já tive por perto, que abre a porta do carro, compras flores e não mede esforços para fazer bem, seja a mim ou as outras pessoas, mas não estou falando só dele não... Os russos que cruzaram o meu caminho (ou sera eu quem cruzou o caminho deles?) também são pessoas incríveis, com quem eu dei boas risadas e que me emprestaram roupas de frio no exato dia em que me conheceram. Que saíram de casa com um dicionário só pra tentar fazer as coisas ficaram menos difíceis. Que me dera um bolo de boas vindas e panquecas de ate logo.

Claro que alguns estereótipos como o calor latino são verdadeiros sim mas por outro lado sigo vendo que no fundo somos exatamente todos iguais, de um canto ao outro do mundo.

#3 Ainda falando sobre as pessoas, a grande chave do sucesso esta alojado nas expectativas que você bota nas pessoas. porque embora eu tenha dito que acredito que o bem ainda vence o mal, você não pode ir para um lugar esperando encontrar um guia espiritual (seguindo a linha comer-rezar-e-amar) porque sim, eles existem e se mostram presentes nos pequenos gestos do dia a dia, mas a sua viagem não pode depender disso, porque nem o lugar mais bonito do mundo sera suficiente para encher o seu coração se você não estiver com ele aberto para receber tudo de positivo que aparecer pelo seu caminho.

#4 Aprendi que frio definitivamente não é psicológico e quem insiste nessa ideia nunca esteve a menos 22graus. Frio de -25 é totalmente diferente de frio de 10positivo, pelo que eu vejo pessoas reclamando por ai... O arrepio vira dor, entendeu?! Frio doí, MĀSSSSS, frio é questão de to get used e ter uma boa roupa. Antes daqui, a temperatura mais baixa em que eu havia estado foi de -2 graus (que hoje pra mim é um puuuuutaaa calorão) mas quando eu cheguei com as minhas roupinhas pobrinhas de frio de monte sião estava fazendo -22 lá fora e eu não morri. No dia seguinte estava -17 e eu aguentei firme enquanto turistava pela praça vermelha, e sem reclamar, porque eu queria muito estar ali. Se adaptar ao frio ou não é também deixar de ter frescura, não da pra ficar linda e esbelta vestindo casaco de neve, e eu demorei pra aprender isso.
Com o tempo tudo que você quer é senti o quão warm é o tão sonhado "0 graus" e chega a ser engraçado quando você vê alguém fazendo aquele drama porque pegou  5 positivo e quase congelou.
Nessa foto de baixo, eu pareço feliz e quentinha, e feliz eu estava mesmo, mas maaaaaanooooo, que frio com esse casaco nada quente que eu comprei só porque era bonito:(

#5 Morar na Rússia me fez ver que sempre vai existir um lugar no mundo esperando para te surpreender. Eu amo esse lugar assim como eu amo a Grécia e a Itália, assim como eu amo o Brasil. E amar aqui não tem nada a ver com o meu amor pelo Anton, porque nessa parte eu chego jaja.
Desde de quando eu embarquei ate agora, venho meio que refletindo sobre as pessoas e seus comportamentos e as vezes eu me vejo meio tonta ao ficar deslumbrada com um por do sol mais vibrante enquanto o outro só acha bonito e ok, e foi ai que eu percebi que existem dois tipos de pessoas: As que vivem a vida e as que sobrevivem a vida.

Não seja do grupo de pessoas que sobrevivem a vida. Sério, "perca" um dia da sua vida para fazer uma reflexão seria sobre o que faz voce feliz e eu te juro que voce vai "ganhar" uma vida inteira. A vida passa absurdamente rápida e deve ser muito triste passar por ela sem sentir a emoção de uma grande conquista, seja ela qual for, de tocar a neve a comprar a casa dos sonhos.

#6 Eu acredito tipo assim, MUITO, em outras vidas e agora muito mais que antes. Não entrando no quesito religião, mas tem coisas que, bem, não que eu sinta que ja vivi antes, mas tem lugares e pessoas x que passam pela minha vida com quem eu tenho uma ligação absurda. Quando eu andei por aquela praça vermelha cheia de luzes, parecendo mesmo cenas de uma historia de amor foi incrível, mas sabe, aquela tal da rua Arbat que é bonita mas é ok para os olhos de muitos, pra mim é um lugar para recarregar as energias (e não é porque tem lojas). Eu sinto um mutirão de energias positivas.
Assim como esse tal russo ai, que se não for o "the one", tinha de certo um propósito na minha vida. Só eu sei o quanto eu aprendo com ele, e o quanto aprendemos juntos.


#7 Quando eu sai do navio eu tinha certeza que nenhum outro lugar do mundo me faria sentir tamanha  alegria como a que eu sentia na Grécia, mas ai eu vim aqui morrer de amores por esses lugares e aprender que o coração da gente é gigante e tem lugar para as lembranças de todos os lugares do mundo, que, claro não seriam nada se não fossem as pessoas que os compõem...

#8 Quantas vezes eu ouvi pessoas dizendo que amam a Rússia, mas não gostam dos russos, que acham a índia linda mas odeiam os indianos, que gostam do Brasil mas acham os brasileiros muito abusados?
E me diga você, que sentido teria uma Rússia sem todas essas pessoas andando com seus casacos de pele pra la e pra cá, tomando chá o dia inteiro, bebendo pelas ruas e tendo uma conversa amigável que mais parece um principio de tiroteio?! Cultura meus amores, esse é o nome que se da pra isso! Que sentido teria uma índia sem toda aquela gente vestindo colorido e olhando fundo nos olhos da gente como se soubessem de todos os nossos pecados? A Itália não seria Itália sem aquela gente gesticulando o tempo todo e definitivamente as palmeiras do Brasil não teriam a menor graça sem os bons, velhos e abusados brasileiros de chinelo, bermuda e regata rasgando o verbo com sotaque arrrassssssstado ou se aquecendo do frio do sul tomando um chimarrão! Fala sério, não teria o menor sentido!


O melhor de tudo isso tem sido ler uma coisa sobre a Rússia, Filipinas, Índia, Itália, Argentina ou qualquer outro canto do mundo e não ter uma ideia abstrata do pais e das pessoas e sim uma ideia daquele meu amigo querido que me contou em primeira pessoa sobre pedaços da sua realidade, do sorriso sincero que um desconhecido me deu no metro, do policial que me ajudou quando estava completamente perdida na argentina e das milhões de pessoas maravilhosas que entraram na minha vida mesmo que por um curto período de tempo e me mudaram completamente como pessoa.

#9 Aprendi a pedir ajuda. Essa eu aprendi mesmo, bem aprendi por sinal.  Não pensar duas vezes antes de fazer uma pergunta e pedir ajuda para chegar aos lugares. E não é um "Como eu chego lá?!" e sim um "Me leva lá por favor?!". Aprendi a ajudar também. Sim, teve uma vez em que uma japonesa, que não falava nem russo nem inglês me pediu informação e com caras, bocas e o pai dos burros que hoje não é mais o falecido dicionário e sim o famoso google tradutor e o googe maps, conseguimos chegar ao ponto que ela precisava ir. Ninguém sabe tudo e embora algumas pessoas torçam o nariz, a maior parte das pessoas acha bem fofo quando você tenta pedir informação falando no caso, aquele russo bem bonito e certinho kkkk. Faz parte!


#10 Agora falando um pouquinho sobre o que eu aprendi sobre o amor, esse é o mais fácil de todos, porque eu aprendi que o amor é grandioso pelo tamanho da sua simplicidade. Amor que briga para  ofender não é amor, amor não causa dor, causa alegria, tem paciência e faz acontecer, em baixo de sol ou neve, a 40 ou a -30 graus. Amor é uma coisa que quando acontece de verdade não tem como ter duvidas se é ou não, porque ele da uma surra de gato morto na gente por ter um dia se quer duvidado que ele existia!

#11 Entre muitas coisas que eu aprendi, eu posso destacar que a mudança de perspectiva é decorrente da mudança de cenário, que nos faz enxergar o mundo de outra forma através de uma mudança de contexto.  Abrir a cabeça não é fácil, não é só atravessar o oceano ou alguns quilômetros de estrada para perder preconceitos ou que ser um estrangeiro é sempre fácil e lindo, porque sinceramente é bem difícil ser um peixinho fora do aquário. Também não é preciso ir ate a Rússia ou qualquer outro pais para passar a ver as coisas com outros olhos, tem pessoas muito sabias que nunca arredaram o pé de suas cidades de origem,  mas o fato é que ter vindo parar aqui nas condições em que eu vim e ter sido abraçada pelo maior pais do mundo me tornou um ser humano muito mais humano e isso já fez tudo valer a pena!

Um sentimento que eu não sabia qual era me trouxe ate aqui para descobrir que o amor que hoje esta me levando embora é o mesmo que vai me trazer de volta.
Agora sim é hora de dizer,
Пока Пока Rússia!















:)
Share on Google Plus

About Harlye Mielli

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Tripulante Navio Au Pair Diario de Bordo Costa Fascinosa Temporada Europeia Illinois histórias de crew Crewlife Summer 2016 Fase 4: De volta ao Buffet Snack Stward Living in Russia WINTER 2015/2016 Moscow Fase 2: Europa Chicago Spring 2016 Aconteceu no Fascinosa Fase 6: Ultimo Cruzeiro Temporada Brasileira crewfamily California Road Trip Fase 1: O Começo Processo de Embarque Divirta-se Capos Namorado Cabinmate SUMMER 2015 Namoro a bordo FALL 2015 Fase 5: Reta Final St. Petersburgo Bratta Familia Supervisores Cabine Processo Au Pair TAG: Vida de Snack Bia Data de Embarque Brasil Veneza-Italia Crew Bar Fase 3: Ass. Witress Horarios Mykonos-Grecia Vida-pós-Navio Costa Crociere Dicas warning Aprenda Russo Ass Waitress Grecia Trabalho em Navio relacionamentos Academia Buffet Crew Party training Aviação BRASIL X EUROPA Cherepovets Comissária de Voo Las Vegas Santorini fim de contrato Celular Comida a Bordo Let Pro Flight Rio de Janeiro despedidas Arizona Bari-Italia Dinheiro Navegação Port Manning Russia salario At sea Buenos Aires Colorado Dubrovinik Croacia Filipino Folgas Infinity Ingles Saudade Saudades Thayse Uniforme Vida de Snack drill Anac Aniversarios Cabelos Comida Corfu-Grecia Crossing Data de Embaque Dirigindo nos EUA Embarcation Day Inspeção de cabine Malas Natal New York Overnight Salvador Santos Treinamentos bambini compras guests medico a bordo ABOUT ME Academia a bordo Banheiromate Brasileiros Cabelo Costa Pacifica Crew Beach Desembarque Fascinosa Formatura Ilha Bela Internet Mafia Meeting Capitão Minnesota Provas Pós- Russia Red Square Schedule Side Job Sobrevivencia- Selva e Marinharia Travel Tips dançarinos evaluation transferencia de navio 21 anos 21 anos na Grecia Aeroporto de Madrid-Barajas Aeroporto de Roma Alitalia American Life Assalto CFPN Cambuza Cantando Carnaval Copa do mundo Costa Mobile ou Costa In touch Costa NeoRiviera Entrevista Europa Exames- Navio Fall 2016 Familia a bordo Feminismo Filipinos Flight attendant Flowchart Folga Gastos Hard Rock Itinerário Kentucky LIfe on board Living in USA Loira a bordo Maceio Malaga-Espanha Mamagaio Mareado Meu filho quer embarcar! E agora? Nashville O que levar nas malas? Palermo-Italia Portugal Processo seletivo RFE Reembarque Reflexão Reportagem TV Riniti Rotina STCW ou CBSN Secador e chapinha Sta Cruz de Teneriffe-Espanha TIM Televisão Tennessee Uruguai-Punta Del Este e Montevideu Videos Vizinhas Vocabulario Voo Wifi Wisconsin abandon ship aniversario na grecia comunicação disney laudry massagem a bordo metri off passageiros staff ´Reembaque